Olá, interessado leitor que gosta de pensar. Como anda o seu 2018, até agora? Bem, o meu 2017 continua bem bacana, em 2018. E cada dia que passa, meu 1976 fica ainda melhor.

Tive certas complexidades de 2001 até 2007. Mas ao mesmo tempo, muito aprendizado. Não digo aprendizado através de erros, isso também, mas aprendizado da Filosofia clássica e prática, mesmo. Que foi bem bacana de aprender, apesar de algumas encheções.

Digo mais, meu 1984 continua meio esquisito, nas vezes que eu olho. Só que quando mudo o jeito de olhar, fica difícil não agradecer. Só não disse ainda que nesta diferença de olhar, tem inúmeros anos, cheios de trópicos, cambaleios, porres homéricos, acertos e até alguns golaços da minha parte, todos embutidos.

Engraçado como o tempo e as energias mudam o nosso olhar, não é mesmo? E a quantidade de significados que vamos dando aos nossos períodos da vida, no passar do tempo.

Existe uma experiência, na Física Quântica, que quando você olha para uma corrente de elétrons, ela muda até a trajetória de onde saiu, no passado. Isso quer dizer que a medição da experiência, assim como o seu olhar para si mesmo pode mudar, inclusive, o seu passado. Não o que aconteceu lá, mas as suas energias realizadoras contidas em um conjunto de emoções. O que eu quero dizer com isso? Quero te perguntar apenas: Como estão, seus 2017, 2014, 1997, 1979?

Se este questionamento te incomoda, te passo logo a cola quântica: agrupe seus anos em um conjunto de significados, e você encontrará incríveis pequenas versões de si mesmo.

 

Anúncios