Uma história real de um falsificador perseguido pela polícia virou filme, com Leonardo DiCaprio e Tom Hanks. Chama-se “Agarra-me, se Puderes”. Eu já fui bem mais ousado com a sua pessoa. Mandei você se deshipnotizar-se, se for capaz. Creio que é impossível, pois a mesma forma que funciona a hipnose, funcionam nosso cérebro, nossa percepção das coisas. Neste post, vamos enganar o consciente de uma pessoa para que o inconsciente dela nos diga coisas que realmente a incomodam. E assim vamos aprendendo sobre como funcionam as pessoas! 

Antes de mais nada, gostaria de te apresentar minha companheira de trabalho, a Hipnose. Ela é uma simpatia saltitante. Minha bolinha de borracha! E porque a denominei hipnose? Simples, raios. Ou nem tanto. Chamo ela assim porque toda a teoria desta técnica se baseia em dar à parte “consciente” do seu cérebro uma distração, enquanto você pergunta ao inconsciente o que a pessoa realmente está pensando! Loucura, não é mesmo? Louco o suficiente para ser real.

Comprovei este conceito em uma sessão de consultoria individual. Estava atendendo uma mulher grávida, e não estava claro que mais incomodava aquela pessoa. Precisava  de uma resposta direta, e não quis fazer as tradicionais perguntas, ou esperar ela concluir. Perguntar para o consciente raramente traz uma resposta  100% direta sobre o problema. Mesmo porque apenas 5% dos nossos pensamentos são conscientes.

Aí, senhoras e senhores, veio a hipnose. Falei para a consultante que ela respondesse ao que eu fosse perguntar, mas apenas depois que eu quicasse a bola na parede, e ela a segurasse. Ou seja, os seus sentidos conscientes estariam focados na bolinha, enquanto o consciente, aberto a me responder. Segue a dinâmica:

Jogo a bolinha, e logo pergunto:

  • Filósofo: – Qual a primeira sensação que você sentiu ao saber que estava grávida?Ela pega a bolinha e logo diz:
  • Consultante – MEDO!

Poe essa, asseguro-lhe que não estava esperando. E isso acabou mudando o teor da minha análise para onde e como se manifestavam este medo entre ela e os pais, os pais e os avós, e como se manifestam o feminino/masculino da matéria na prática da vida dela. Ontologia e metafísica quântica agregada a constelação familiar. Foda, isso.

A hipnose, e os efeitos hipnóticos fazem parte da nossa vida. A verdade é que usar o celular, ver filmes, ouvir música ou concentrar-se no trabalho tem uma mesma raiz: a forma de comportamento do elétron! E a Filosofia Quântica usa a forma de como a realidade funciona, neste caso, a hipnose, para trazer para as pessoas verdades que elas intuem, mas não estão percebendo, para trazer à tona, trabalhar e consequentemente, ter uma vida mais equilibrada.

Sem medo, pois quando você não sabe o que te incomoda em um período de mudança, mais medo você tem.   E quanto mais confortável com a mudança, mais preparado para recebê-la!

Anúncios