Antes de mais nada: obrigado, meu Deus, pela paçoca, pela fogueira, e por São João! Destes todos, faço uma menção especial à paçoca. Que não seria a mesma coisa sem a fogueira. E sem São João e a Igreja Católica, não estaria espalhada pelo Brasil. Que sem a cultura grega, e o culto das estações e da colheita, simbolizado pela festa de Adônis*, talvez nada disso estivesse sendo aproveitado por todos nós, pobres cabras da peste! Hoje teremos uma postagem quadrilha: todos os significados junto, dançando em festa popular.

Incrível a gente pensar o quanto da história da humanidade está presente em uma aparente simples festa popular. Este post mal está no segundo parágrafo e já falamos sobre cultura grega, judaico-cristã, brasileira, costumes e sobre a leveza da cultura popular. E a vida é assim, meu bom, várias coisas ao mesmo tempo, o tempo todo. E mesmo em momentos em que o tempo para, quando, por exemplo, estamos nos divertindo na festa junina!

Sim, porque existe um significado muito bacana em São João Batista. Ele é considerado o precursor de Jesus Cristo, que é considerado por cristãos a encarnação de Deus, Universo, Natureza ou da Magia da Vida. Só isso já é muito legal. Dizer que o homem, dentro de si, carrega a Magia da Vida, e por isso o Universo se mostrou como cabe dentro dele! Do jeito que as pessoas são, imperfeitas, mesmo! Não é legal? Muito!

Então porque, quando chega junho, a gente se entope de paçoca, milho-verde e quentão para celebrar um cabra que só comia gafanhotos e mel silvestre, iguarias que devem ser mais fáceis de serem encontradas na China? Porque pulamos fogueira? Raios, justamente porque nós seres humanos somos seres gregários, que agregamos os significados da vida para justamente… nos integrarmos melhor à vida.

Pense no interior do Brasil, no sertão, onde todos os dias são parecidos com a vida de São João morando no deserto. Uma das únicas datas que o povo se reúne vai ser para comer gafanhoto? Vai nada. Se o significado inicial já tem um efeito prático na vida, o ser humano aproveita a festa, no caso, para viver o que lhe falta. E vai agregando significados a partir do que a magia da vida, dentro deles, lhes inspira, de acordo com o que lhe traz maior satisfação. Eu vejo muito Deus dentro disto. E de todos os significados que qualquer pessoa, de qualquer ou nenhuma religião, colocam no que fazem com o coração ligado aos seus desejos e razão. Não é mesmo?

 

 

 

 

Fotos e referências, da esquerda para a direita (mas sem falar de política):
1) PBHoje
2 e 3) Tudo Gostoso
4) http://www.christias.com.br

Referência:

http://www.brasilescola.uol.com.br

 

Anúncios